Os melhores parques para andar de bicicleta com crianças em São Paulo

Foto: saopaulo.sp.gov.br

Foto: saopaulo.sp.gov.br

 
Por Gisela Blanco
 
Esse é meu programa preferido aos sábados de manhã: ir até algum grande parque aqui de São Paulo onde eu possa alugar uma bicicleta com cadeirinha de bebê. Aí ando pelo menos uns 40 minutos carregando meu filho e depois estaciono a bicicleta em frente a um parquinho para que ele gaste alguma energia também e saia de lá tão cansado quanto eu (bom, na verdade isso não acontece porque ele NUNCA se cansa).

Além disso, esse é um passeio ao ar livre em que sempre conhecemos gente legal. E é fácil de fazer se você está sozinho(a) com a criança. Só preparo uma mochilinha com o que precisamos para o dia (água, frutas, protetor solar) e alugo a bicicleta lá no parque mesmo. Então não tenho que me preocupar em carregar muita coisa (ufa!) além da minha pequena criança hiperativa.

Mas como nem tudo é perfeito, antes de fazer um programa como esse você precisa escolher bem para qual parque que vai. Mesmo que você já tenha sua própria bicicleta e não precise de um lugar que tenha uma para alugar, é bom se lembrar que muitos parques não permitem a entrada de bicicletas. Eu mesma já dei com as caras no portão de 2 parques em São Paulo porque não sabia disso (e pareciam tão bons para andar de bike…).

Então para que você consiga aproveitar bem um dia de bicicleta + parquinho, aqui vão 3 sugestões dos meus parques preferidos para fazer isso em São Paulo:

 

1 – Villa Lobos

É definitivamente o meu preferido. É um parque grande, com uma pista de bike muito boa. A empresa que aluga as bicicletas fica logo na entrada principal do parque e, como eles tem muitas bicicletas (mais de mil) e vários funcionários, você nunca vai pegar muita fila. E dificilmente não encontrará a bike que quer alugar. Já os preços não são tão baratos, mas dá para encarar. A bicicleta com cadeirinha de bebê custa R$ 10 a hora. Depois de dar minha pedalada, costumo levar meu filho para brincar no playground do pomar, que fica em frente à saída das bicicletas. É um playground extenso, com vários brinquedos de madeira. O que eu mais curto é que tem pelo menos umas 4 redes de escalar – uma das diversões preferidas do Luisinho. E pelo menos uma sempre vai estar livre para ele.

 

2 – Parque do Ibirapuera

Como esse parque é sempre lotado, dependendo do horário você pode pegar uma fila bem grande para alugar sua bicicleta. Eu já cheguei a ficar quase 1 hora esperando um dia (mas eu ainda não tinha meu bebê, então talvez se você tiver criança junto, eles dêem alguma prioridade). As bicicletas de aluguel ficam perto do portão 3 e por lá é mais barato: cerca de R$ 5 a hora. O ponto negativo é que o parque costuma ficar superlotado nos finais de semana. Motoristas de bicicleta pouco experientes (como eu) têm que tomar muito cuidado para não atropelar alguém ou levar um tombão tentando desviar de alguma coisa. A parte boa é que no Ibirapuera sempre tem muita coisa para fazer. Então a dica é ficar com a bike por pelo menos umas 2 horas e explorar bastante o parque – sempre tem algum show, exposição ou teatrinho rolando em algum lugar. Depois do meu passeio de bike, geralmente levo meu filho para brincar num playground mais ou menos próximo à entrada das bicicletas, um que tem vários brinquedos de madeira. Sempre tem muita criança por lá e os brinquedos são bem conservados. Mas a nossa parada por lá é antes de devolver a bicicleta: como o parque é muito grande, fica cansativo devolvê-la e depois andar de volta até o playground (que não é tão perto assim da entrada).

 

3 – Parque das bicicletas

O nome já diz bem o que você vai encontrar nesse parque. Na verdade nunca fui a esse, mas tenho muita vontade (é que fica em Moema, é um pouco distante pra mim). Mas já passei na frente e achei um clima muito bom. Tem 1km e meio de ciclovia, o que não é lá tão grande, mas é muito bem cuidado e bastante freqüentado. O aluguel de bicicletas por lá custa entre R$ 6 e R$ 25. E tem playground também! Mas como nunca testamos, não sei o quão legal é. Alguém aí sabe? Conta aqui!